Actualidade

Desmantelada rede de cibercrime responsável por branquear mais de 10 milhões de euros

Uma rede criminosa que branqueou mais de 10 milhões de euros provenientes de burlas informáticas cometidas por todo o mundo, foi desmantelada numa investigação internacional anti-cibercrime liderada pela Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a PJ refere que liderou a operação contra o branqueamento de fundos provenientes do cibercrime internacional e que, em resultado da ação concertada dos vários países participantes, foram detidas 20 pessoas, realizadas mais de 40 buscas (domiciliárias e não domiciliárias) e apreendidos diversos elementos de prova, na Letónia, Bulgária, Reino Unido, Espanha e Itália.

De acordo com o comunicado, durante a “complexa investigação” da operação “2BaGoldMule”, a PJ fez deslocar à Letónia uma equipa de investigadores que, em colaboração com as autoridades policiais e judiciais daquele país, procedeu à detenção de cinco pessoas. Igual procedimento ocorreu na Polónia, onde também foi detido um indivíduo, cujo perfil e dados obtidos o colocam na cúpula desta organização criminosa com atividade em Portugal.

Os detidos, que eram alvo de Mandado de Detenção Europeu (MDE), foram extraditados para Portugal, presentes a interrogatório judicial e foi-lhes aplicada a medida de coação de prisão preventiva, refere ainda a PJ.

A rede de burlas informáticas atuava em todo o mundo, mas em especial na Europa e Estados Unidos, indica a PJ, que liderou o caso, através da sua Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T), entre outubro e novembro de 2019.

A organização, esclarece a PJ, era composta por algumas dezenas de pessoas, todos estrangeiros, e terá sido responsável pelo branqueamento de mais de 10 milhões de euros, provenientes da prática de cibercrimes.

“Sob a coordenação da Europol, Portugal, juntamente com os Estados Unidos, liderou e desencadeou uma operação policial de larga escala, designada por “Operação 2BaGoldMule”, que contou ainda com os seguintes países: Áustria, Itália, República Checa, Bulgária, Polónia, Geórgia, Espanha, Suíça, Suécia, Letónia, Reino Unido, Bélgica, Alemanha e Austrália”, precisa a Polícia Judiciária.

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close