ActualidadeMundo

Grande explosão em Beirute abala a capital do Líbano

Uma enorme nuvem elevou-se nos céus de Beirute por causa da explosão, que abalou toda a cidade e fez pelo menos dez mortos. Ainda não se sabe o que a provocou.

A poucos dias de ser conhecida a sentença emitida por um tribunal internacional sobre o assassínio do ex-primeiro-ministro muçulmano xiita Rafik al-Hariri, uma enorme explosão abalou Beirute, a capital libanesa, e fez numerosas vítimas – ainda não é claro se serão mortos ou feridos.

A explosão foi na zona do porto, numa área de armazéns onde estavam armazenados explosivos, diz a agência noticiosa libanesa NNA, que cita fontes de serviços de segurança que não se querem identificar. A Al-Jazeera fiz que a explosão aconteceu num local onde havia uma fábrica de fogos de artifício.

Não há nenhuma explicação oficial para a origem da explosão, nem foi reivindicado algum atentado.

O ministro da Saúde libanês disse “há um número elevado de vítimas”, avança a televisão local LBC, citada pela Reuters. Fontes médicas e de segurança dizem que há pelo menos dez mortos.

Há muitos vidros partidos por todo o lado, e caíram varandas, com o impacto da explosão, relata a agência. “Vi uma grande bola de fogo sobre a cidade. Havia pessoas a gritar e a correr, a sangrar. Foram projectadas varandas de alguns edifícios. O vidro dos arranha-céus partiu-se e caiu em chuva”, disse uma testemunha à Reuters.

Está a ser lançado um apelo para que as pessoas fiquem em casa, com as janelas fechadas, por receio que estejam a ser libertados gases tóxicos, relata uma testemunha ouvida pela televisão pan-árabe Al-Jazeera. Automóveis foram catapultados e foram virados ao contrário.

“As pessoas não sabem como lidar com isto, já têm de lidar com tantas coisas, com a crise. A minha casa explodiu, consegui encontrar o meu telefone”, disse uma testemunha à Al-Jazeera. “É um caos completo”.

O país está a atravessar a sua pior crise económica e financeira, amplificada pela pandemia do novo coronavírus e marcada pela desvalorização acentuada da moeda nacional, subida do desemprego e hiperinflação.

O país está a atravessar a sua pior crise económica e financeira, amplificada pela pandemia do novo coronavírus e marcada pela desvalorização acentuada da moeda nacional, subida do desemprego e hiperinflação.

Fonte: Público

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close