Opinião

Opinião “Sem Filtro”: O ex-presidente António José Ganhão e os desalinhados da política

Tenho pena que o ex-presidente António José Ganhão não dedique algum do seu tempo ao ofício de “professor autárquico”. Se o fizesse, teríamos menos incompetentes e desalinhados nas nossas câmaras municipais.

Nem sempre alinhamos em diapasão e isso foi bom para as partes. A profícua e estreita relação entre jornalistas e políticos não é bem vista. Por vezes, são até suspeitas.

Há muitos anos, era eu um “teenager” do jornalismo, escrevi um artigo para o então jornal O Ribatejo com quem colaborava. O tituleiro (diretor/editor) lembrou-se de titular a peça jornalística com o nome “Samora? Olha o buraco!”.

Tratava-se de um artigo sobre as obras nas piscinas de Samora Correia que não tinham sido concluídas. O presidente António José Ganhão parece não ter gostado e telefonou-me. Convidou-me para visitar as obras e perceber a tramitação, mormente o caderno de encargos, onde consta também o prazo de execução da obra.

O ex-presidente António José Ganhão foi um autarca exemplar. E a prova disso é que foi declarado inocente pelo Tribunal da Relação de Évora
Foto: D.R

O presidente Ganhão sempre foi um homem atento à atualidade informativa, às suas gentes e à sociedade. Declinei o convite e respondi-lhe que dispensava visitas guiadas para visitar uma obra em espaço público e aberto aos olhos de todos.

Eu e o presidente Ganhão andámos políticos durante uns tempos. Quiçá “zangados”. Contudo, nunca evidenciámos rancor ou perseguição um pelo outro.

Os políticos não são todos iguais.

Há uns mais semelhantes e iguais do que outros.
Ainda ontem e hoje. Certamente amanhã, serei alvo da perseguição de “vedetas da política” que julgam poder abafar o meu pensamento e opinião. Acham que devo pensar pelo seu pensamento, muitas vezes, frouxo, bizarro, oportunista e coxo. Estão enganados. Sou um defensor da liberdade de opinião e de expressão. Irei seguir essa marcha com unhas e dentes.

Sempre sem medos, porque como diz o meu querido pai, “o medo é que guarda a vinha”. Serei severamente acutilante na resposta a todas as vedetas que se atravessarem injustamente na minha estrada.

O que muitas “vedetas da política” ainda não perceberam é que um dia quando caírem do travesseiro, mergulham na vertical. Muitos que os bajulavam vão depois mudar de passeio quando ambos se fitarem na estrada.

É aqui que o ex-presidente da Câmara Municipal de de Benavente, António José Ganhão conseguiu ser diferente. “Guerra às ideias, paz aos homens”, escreveu um dia o escritor Vitorino Nemésio. Ganhão é respeitado e admirado por todos os quadrantes da política caseira. É o grande mestre do poder local, da gestão autárquica e da gestão administrativa.

Tenho pena que o ex-presidente António José Ganhão não dedique algum do seu tempo ao ofício de “professor autárquico”. Se o fizesse, teríamos menos incompetentes e desalinhados nas nossas câmaras municipais.

Parabéns PRESIDENTE pelos seus 75 anos!

Abraço,
Mário Gonçalves – Jornalista

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close