Ribatejo

Ribatejo: Já foi reaberta a ponte Rainha D. Amélia

A ponte Rainha D. Amélia que liga os concelhos do Cartaxo e de Salvaterra de Magos, reabriu depois de quase um mês de encerramento, para verificação das suas condições estruturais.

A Ponte D. Amélia, que liga os concelhos ribatejanos do Cartaxo e de Salvaterra de Magos, reabriu, esta sexta-feira, ao trânsito, depois de quase um mês de encerramento, devido à necessidade de uma avaliação técnica da estabilidade dos pilares.

A Infra-estruturas de Portugal (IP) concluiu, agora, que não existem evoluções que ponham em causa a segurança estrutural dos pilares e os municípios do Cartaxo e de Salvaterra decidiram repor o funcionamento da travessia.

Salientam, todavia, que aguardam que a IP concretize com brevidade as obras de reabilitação previstas para a antiga ponte ferroviária inaugurada em 1904, que há perto de uma década foi adaptada ao tráfego rodoviário.

Encerrada no dia 20 de Dezembro como medida de precaução devido aos fortes impactos da depressão Elsa na bacia do Tejo, a Ponte D. Amélia foi, depois, objecto de um levantamento batimétrico feito ao leito do rio (dia 27) e de uma inspecção subaquática, feita já no dia 6 de Janeiro, quando se considerou que existiam condições de segurança para o efeito. Três dias depois, a Câmara do Cartaxo entregou o respectivo relatório técnico à IP e aguardou, desde então, uma apreciação dos técnicos da Infra-estruturas de Portugal.

Essas conclusões chegaram às autarquias no dia 16, suscitaram ainda algumas dúvidas, porque eram “omissas quanto às condições de segurança para o levantamento da suspensão da circulação” e, já na sexta-feira, depois de um pedido de esclarecimento com carácter de urgência, a resposta da IP foi suficiente para tranquilizar os dois municípios, que promoveram a reabertura da ponte.

É importante que as autoridades interditem a passagem de veículos pesados nesta ponte
Foto: D.R

“A circulação na Ponte Rainha D. Amélia foi hoje, finalmente, reposta depois do cabal esclarecimento remetido pela Direcção de Serviços de Rede e Parcerias da IP”, sublinha a edilidade cartaxeira, explicando que, segundo a IP, os levantamentos batimétricos e a inspecção aos pilares da ponte “não evidenciam evolução que ponha em causa a estabilidade dos pilares da Ponte, elemento estrutural da responsabilidade desta empresa”.

A Infra-estruturas de Portugal mantém, todavia, a recomendação de que seja apenas permitida a passagem de veículos ligeiros sujeitos a uma velocidade máxima de 30 quilómetros por hora. E considera que deve ser promovida a reparação “urgente” dos aparelhos de apoio situados sobre o pilar 13 e sobre o encontro da ponte na margem do lado de Salvaterra.

De acordo com a Câmara do Cartaxo, a IP remeteu, no ano passado, aos dois municípios servidos pela ponte, o ante-projeto para as obras de requalificação da D. Amélia, solicitando que se pronunciassem sobre ele. “As duas autarquias já se pronunciaram sobre o mesmo, aguardando agora, com expectativa, que o concurso público para as obras há muito reivindicadas seja lançado em breve”, conclui a edilidade do Cartaxo.

Fonte: Jornal Público – Jornalista Jorge Talixa

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close