Salvaterra de Magos

Salvaterra de Magos: Destituições ou demissões forçadas nos bombeiros geram mal estar

O jornalista Mário Gonçalves publicou há instantes na sua página do Facebook, uma notícia sobre a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos (AHBVSM) que vem provar que o ambiente que se vive na direcção dos voluntários salvaterrense não é a melhor. Uma situação que o “RibatejoNews” tem vindo a acompanhar.

Aqui fica o texto que foi publicado pelo jornalista Mário Gonçalves:

“Castelo a desmoronar-se
BOMBEIROS DE SALVATERRA VÃO DESTITUIR UM PESO PESADO DA DIREÇÃO
A direção dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra começou a desmoronar-se. Na próxima assembleia geral de sócios, marcada para o dia 19 de dezembro, vão destituir um peso pesado da estrutura.
Fonte próxima do Robin des Bois, garante que se trata do vogal da direção, António Travessa. Recorde-se que este elemento da direção, que foi alegadamente um dos mentores do derrube da direção anterior e o principal obreiro da atual direção, incompatibilizou-se com os atuais dirigentes quando estes decidiram reintegrar o atual comandante. Segundo apuramos, António Travessa mostrou-se sempre contra esta decisão pelo facto do comandante Paulo Dionísio não ter competência para ocupar este cargo de grande responsabilidade.
O tempo voltou a dar-me razão quando há uns meses escrevi aqui que a direção dos bombeiros iria cair.
O vice-presidente dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos, Pedro Morais, o maestro do assalto ao poder, vai a partir do dia 19 de dezembro provar o veneno que andou a semear e que levou à queda da anterior direção.
Quem com facas mata, com facas…
Mário Gonçalves – Jornalista”.

Críticas ao presidente da direcção e vice-presidente

Segundo o “RibatejoNews” conseguiu apurar junto de um bombeiro que solicitou o anonimato com medo de represálias, “A situação que se vive no quartel não é a melhor. Existem colegas a questionar as competências do comandante Paulo Dionísio e confirmo que o António Travessa apresentou a sua demissão e que os membros da direcção recusaram a reunir com o vogal de modo a apurar as razões da sua demissão”.

Tentamos ouvir António Travessa para confirmar a sua demissão, mas o mesmo nem confirmou nem desmentiu. Disse-nos apenas que isso era uma assunto pessoal e que vai ser analisado na Assembleia no próximo dia 19. Recusou-se a falar dos bombeiros de Salvaterra e apenas nos disse que o seu futuro não passa por ali.

Também conseguimos apurar que para além de António Travessa, também o Miguel Carrapato (Muge) tenciona apresentar a sua demissão.

“As pessoas pensam que o ambiente que se vive nos bombeiros é melhor do que aquele que existia na anterior direcção? Estão bem enganados. Quem manda aqui é o senhor presidente da Câmara, Hélder Esménio e o presidente da Junta de Freguesia, Manuel Bolieiro. O presidente da direcção dos bombeiros parece uma barata maluca e tem medo de perder os apoios para o Grupo Desportivo Salvaterrense, onde é também presidente da direcção”, disse ao “RibatejoNews” a nossa fonte de informação.

Mas não é apenas o comandante Paulo Dionísio que é contestado e criticado. Nem o presidente e o vice-presidente. “Os bombeiros não conseguem perceber como é que a Sara Formigo consegue ter tanta influência dentro da corporação!”, afirmou o bombeiro que pediu o anonimato.

Ou seja, a assembleia do próximo dia 19 de Dezembro poderá desvendar alguns problemas.

José Peixe – Jornalista e Editor do “RibatejoNews

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close