Benavente

Benavente: Foi destruído o último forno romano no Porto Alto

O último forno romano existente no concelho de Benavente (no Porto Alto), foi destruído com a conivência da Fundação Padre Tobias e a Junta de Freguesia de Samora Correia.

É assim que se destrói um património que pertence a todos nós
Foto: N.S.L/D.R

O Forno do Telhal na Estrada de Palhavã em Porto Alto está há mais de 20 anos a aguardar uma intervenção que permita salvar esta memória da Freguesia de Samora Correia.

Esta peça que testemunha a passagem dos Romanos por estas paragens está num terreno que é pertença do Centro de Bem Estar Social Padre Tobias, instituição onde a Junta de Freguesia participa na administração sendo o senhor presidente, o Tesoureiro.

A instituição vai celebrar um contrato de arrendamento com um privado para implementar um estaleiro junto ao rio Sorraia.

Imagem de 2008 do forno que foi destruído com o consentimento da Junta de Freguesia de Samora Correia
Foto: N.S.L/D.R

E o primeiro passo foi destruir o que restava do último dos fornos existentes.

Que falta de sensibilidade. Que falta de honestidade intelectual.

Todos sabem dos alertas que lancei publicamente e junto das autarquias(CMB e JF de Samora) e da instituição para se salvar esta memória.

Mas ninguém deu ouvidos.

Só importa o dinheiro que virá do arrendamento. Ninguém acautelou a preservação deste elemento único.

Recordo que o historiador samorense Padre Camilo Neves Martins descreveu este forno Romano como uma peça arqueológica rara que teria sido usada para cozer cerâmica: tijolo e telha destinado às construções em toda a região.

O historiador alertou para a necessidade de preservar este elemento arqueológico com mais de 500 anos de vida.

Um povo sem memória nunca poderá augurar um Futuro de progresso
Foto: N.S.L/D.R

Segundo a investigação que fez foi um dos primeiros fornos de barro (tijolo) romano em Portugal.

Hoje pouco resta. Nada foi feito para preservar.

Se preservarmos as nossas memórias, será mais fácil construir o Futuro.

Um povo sem memória nunca poderá augurar um Futuro de progresso.

Nelson Silva Lopes – Texto e Fotos

Mostrar mais

Related Articles

Comentários

  1. Continuamos com atitudes de subdesenvolvimento relativamente ao nosso legado histórico (e não só), fruto de políticas desastrosas e de políticos medíocres. Assim vai Portugal e neste campo já teve melhores dias.

  2. Que pena, não sabia da existência deste forno!
    Mas, gostava de fazer uma pequena correção, este forno se era romano, tem que ter mais de 1700 anos, visto ser provavelmente o primeiro…terá ainda mais anos, os romanos passaram por essa zona no final de Sec.I.
    Muito grata pela denúncia
    Fernanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close