Benavente

Porto Alto: reabriram o dique do Rio Sorraia e deparamo-nos com uma catástrofe ambiental

Ontem de manhã, no segredo dos Deuses, os responsáveis da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX) deram ordens para deitar abaixo o dique que tinham construído no rio Sorraia com a autorização da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) a água deu lugar a um rio de jacintos (Eichhornia crassipes). Uma praga que tem vindo a ser denunciada nos últimos anos.

As águas do Sorraia deixaram de se ver. O leito de um dos maiores afluentes do rio Tejo ficou intransitável e repleto de jacintos.

Os jacintos de água doce tomaram conta do Sorraia. E agora quem assume esta catástrofe ambiental?
Foto: José Peixe/D.R

“Tenho 75 anos e sempre conheci esta parte do rio Sorraia. Mas o que estou a ver hoje é na verdade uma catástrofe ambiental. Como é possível uma situação destas acontecer em Portugal?”, questiona António Valverde à nossa reportagem.

Mas não se fica apenas por aqui. “E agora quem é que vai indemnizar os poucos pescadores que ainda sobrevivem da pesca do rio. E quem se responsabiliza por todos os danos desta praga de jacintos que ocupou o rio Sorraia? Por onde anda o ministro do Ambiente de Portugal?”.

Com a abertura do dique que foi construído, obstruindo o rio Sorraia durante dois meses, esta praga de invasora vai deixar marcas profundas na Reserva Natural do Rio Tejo e no próprio estuário.

“O senhor presidente da Câmara Municipal de Benavente anda completamente afastado da realidade do rio Sorraia. Em comunicado disse que a jusante de Benavente não havia muitos jacintos. Pois ele que venha ao Porto Alto para ver algumas toneladas desta planta invasora que vai criar muitas dificuldades aos pescadores e provocar algumas anormalidades ambientais no próprio estuário do Tejo”, afirmou ao “Ribatejo News” Joaquim Miranda, um habitante de Samora Correia que esteve na ponte do Porto Alto a observar o rio.

E quem vai assumir os prejuízos provocados aos pescadores que utilizam o Sorraia para viver?
Foto: José Peixe/D.R

“Confesso que nunca vi uma coisa assim! Mas não existe ninguém em Portugal que responsabilize os responsáveis por este atentado ambiental? É uma vergonha. Os especialistas da APA que deram autorização à Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX) que venham ver com os próprios olhos o que eles aprovaram”, desabafou Joaquim Miranda.

Um pescador que pediu o anonimato por causa das represálias que são feitas pelos responsáveis da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX) apenas nos disse o seguinte: “Fui criado no rio Sorraia e sempre o utilizei para pescar. Vivo da pesca. E nunca vi uma catástrofe assim. Não acredito que ninguém seja condenado por este crime ambiental”.

José Peixe – Jornalista

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close