ActualidadePolítica

As reivindicações que os motoristas de matérias perigosas vão querer negociar amanhã com os patrões

Num comunicado pós-plenário dos associados do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) a que o “Ribatejo News” teve acesso, os motoristas que fizeram greve dizem estar certos de que o  caderno reivindicativo que levam para a mesa de negociações amanhã à tarde é justo.

“Salário é salário e não deve ser pago às escondidas, que as horas extraordinárias devem ser pagas em função do seu volume real e não por estimativa, que os patrões não podem ter carta branca para nos impor turnos abusivos que nos matam todos os dias e nos transformam em bombas relógio a rodar nas estradas por onde também circulam os milhões de pessoas que temos orgulho em servir, mas que queremos servir em paz e em segurança”, pode ler-se no comunicado do sindicato dos motoristas de matérias perigosas.

Os motoristas de matérias perigosas vão para a mesa de negociações de boa fé mas se não houver acordo estão dispostos a voltar à greve
Foto: José Peixe/D.R

“Face a tudo isto, face à necessidade de redefinir novas estratégias e face ao novo cenário sindical, assumimos que esta greve terminou sem ter ainda produzido os resultados que queremos alcançar, visto que continua por garantir o virar da página de uma realidade laboral obsoleta para a esmagadora maioria dos motoristas de cargas perigosas”, afirmam os sindicalistas.

E esclarecem o seguinte: “Estamos certos que a razão está do nosso lado, vamos assumir o nosso lugar à mesa das negociações no calendário definido pelo Mediador e já aceite pela ANTRAM, preparando desde já um caminho que permita aproximar todos os motoristas das suas reivindicações e contribuir assim para o futuro de um país com salários e condições laborais dignas, com garantias de respeito por todas as partes.”

Assim, o plenário dos motoristas de matérias perigosas que teve lugar nas instalações da Junta de Freguesia no domingo à tarde aprovou os seguintes pontos passamos a destacar:

• Fim da greve por tempo indeterminado que teve início no passado dia 12 de Agosto.

• Porque em anteriores processos de negociações foram usados jogos de espelhos para ludibriar os trabalhadores, aprovamos, à condição, um pré-aviso de greve às horas extraordinárias e ao Domingo, limitando o trabalho dos motoristas de cargas perigosas apenas ao seu turno. Este pré-aviso só será entregue se na Mediação definida pelo Governo, a ANTRAM continuar a recusar reconhecer, de uma vez por todas, o nosso estatuto profissional, quer no que diz respeito às horas extraordinárias, quer no que diz respeito ao pagamento de um valor tributável e pago pelos patrões, que não sendo salário base, conta quer para efeitos de baixa quer para as contas da reforma.

• Assumiremos o nosso lugar nas negociações, mas a par disso desenvolveremos a capacidade do nosso sindicato e dos seus sócios, a sua articulação com todos as organizações e cidadãos que nos manifestaram a sua solidariedade. E, sobretudo, para com aqueles que perceberam que atrás do biombo onde se esconderam os nossos patrões está um arquitetado e perigoso plano de ataque concertado ao direito à greve, pelo que estaremos em campo para desenvolver ferramentas de combate para defender esse valioso direito constitucional.

• Convocamos os motoristas, mas também outros sindicalistas combativos, para a defesa desse direito. E por isso lançamos desde já o desafio para um encontro aberto a todos os que, depois desta batalha, queiram traçar um caminho comum na constituição de respostas, tanto no combate aos salários e condições de miséria como no desenho de estratégias na defesa intransigente do direito constitucional à greve, lançando assim, no futuro, novas bases para que todos os motoristas saiam vitoriosos na luta pela rápida concretização das suas legítimas aspirações.

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close