ActualidadeEconomiaReportagemRibatejo

Crise dos Combustíveis: ANTRAM e o sindicato dos motoristas chegaram a acordo

A greve dos motoristas de transportes de matérias perigosas chegou ao fim esta manhã. O Governo, por intermédio do ministro do Planeamento e das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos anunciou que a greve terminou e que “a normalização não será imediata mas que vai ser gradual”.

Fontes ligadas ao Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas garantiram ao “Ribatejo News” que o abastecimento de combustíveis ficará normalizado nas próximas 48 horas. A própria Agência Lusa confirma isso mesmo.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro António Costa e o ministro do Trabalho foram peças fundamentais para que esta greve que estava a paralisar o país chegasse ao fim.

Esta foto foi feita alguns minutos antes da meia noite de domingo. Foi aqui que tudo começou!
Foto: José Peixe – D.R

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e os respectivos patrões chegaram a acordo durante esta madrugada desta quinta-feira para pôr fim à greve dos combustíveis, segundo o “RibatejoNews”, conseguiu apurar no Ministério das Infraestruturas e da Habitação. Mas o fim da greve não se traduz numa solução imediata, mas sim num acordo para garantir o fim do protesto e prosseguir com as negociações de melhores regalias salariais e o reconhecimento da categoria profissional e outras reivindicações.

Os sindicatos chegaram a acordo após uma “madrugada decisiva”, que contou com a mediação do Ministério do Trabalho. E o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) que tantas vezes foi ridicularizado pelo presidente da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), Gustavo Paulo Duarte, conseguiu uma vitória inédita para o sindicalismo português. O SNMMP conseguiu mostrar a sua independência e determinação na luta pelos direitos dos seus associados. Sem o apoio nem interferência de qualquer partido político. Com uma independência jamais vista. Um sindicato de “homens rijos que nem cornos” como bem definiu o camarada Luciano Alvarez

Numa conferência de imprensa, esta manhã, Pedro Nuno Santos, Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, confirmou o fim da greve e dirigiu-se aos motoristas, sindicato, empresas, forças de segurança e, por fim, aos portugueses.

Esta greve levada a cabo pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) também mereceu o editorial assinado pela camarada de profissão Ana Sá Lopes, no jornal “Público” de hoje.

O ministro Pedro Nuno Santos por enaltecer a luta dos motoristas e trabalhadores. “Tiveram não só um comportamento correto ao longo destes dias como tiveram uma importante vitória. Fizeram-se ouvir e foram ouvidos”, afirmou o ministro em Conferência de imprensa.

A serenidade do presidente do SNMMP, Francisco São Bento acabou por ser determinante
Foto: José Peixe – D.R

Pedro Nuno Santos garantiu que os motoristas “conseguiram que se inicie um processo negocial com a ANTRAM, que permitirá garantir a valorização do seu trabalho”.

Dirigindo-se aos portugueses, o ministro assume que “foram três dias difíceis, três dias de incerteza e de alguma insegurança até”. Mas esse “período terminou”, garantiu.

“A normalização da greve será gradual, não será imediata. Temos situações de rotura em vários postos de abastecimento”, reiterou aos jornalistas quando questionado sobre os efeitos imediatos do fim da paralisação.

ANTRAM e sindicato comprometem-se a concluir processo negocial até final do ano

A arrogância negocial do presidente da ANTRAM, Gustavo Paulo Duarte foi derrotada pela união dos motoristas
Foto: D.R

O ministro das Infraestruturas destacou a garantia de “paz social”e a primeira reunião negocial decorrerá no dia 29 de Abril.

Este processo, de acordo com o documento que foi distribuído aos jornalistas esta manhã, visa “promover e dignificar a actividade de motorista de materiais perigosos” e será acompanhado pelo Governo.

A ANTRAM e o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas comprometem-se, no protocolo assinado hoje, a concluir até dia 31 de Dezembro um processo de negociação colectiva.

De acordo com o documento, as partes “admitem iniciar um procedimento negocial tendo em vista a boa regulação das relações laborais entre os empregadores representados pela ANTRAM [Associação nacional dos Transportadores Rodoviários de Mercadorias] e os trabalhadores representados pelo SNMMP”.

O advogado Pedro Henriques Pardal esteve sempre ao lado dos motoristas e nas negociações
Foto: José Peixe – D.R

Hoje de madrugada, depois de uma reunião de cerca de dez horas que teve início na quarta-feira e que juntou em Lisboa representantes do Governo, do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e da ANTRAM, tinha sido anunciado o alargamento dos serviços mínimos a todo o país, prevendo-se a realização de 40% das operações normais de abastecimento de combustíveis.

A greve começou às 00:00 de segunda-feira, por tempo indeterminado, e foi convocada pelo SNMMP para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Os motoristas de matérias perigosas estiveram juntos e unidos até ao fim
Foto: José Peixe – D.R

Face à paralisação, o Governo declarou, na terça-feira, “situação de alerta” e avançou com medidas excepcionais para garantir os abastecimentos de combustível, além da requisição civil por alegado incumprimento dos serviços mínimos.

José Peixe – Editor com recurso à Agência Lusa

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close