Salvaterra de Magos

Freguesia Muge: o presidente Rui Silva (CDS) recebeu uma herança pesada

Executivo da Junta de Freguesia de Muge presta contas à população.

Balanço do Primeiro ano de Mandato 2017/2018

O actual executivo da Junta de Freguesia de Muge no decorrer do 1º ano de Mandado, desde 22 Outubro de 2017 até Dezembro de 2018, decidiu distribuir um documento pela população com o intuito de apresentar o trabalho que tem sido desenvolvido na freguesia.

O presidente Rui Silva (CDS) herdou muitos problemas do anterior executivo
Foto: D.R

“Uma das principais preocupações do Executivo foi liquidar as dívidas existentes aquando da tomada de posse, tendo sido já pagas dívidas no valor de 20677.05 € ao longo do ano; sendo que ainda existe mais a pagar”, pode ler-se no documento da Junta de Freguesia de Muge.

E existe uma informação relevante que convém tornar pública:

– “Para além das heranças que recebemos, sentimos e debatemo-nos com a mais pesada de todas. A Junta de Freguesia foi condenada pelo Tribunal do Trabalho, no pagamento ao Sr. João Paulo Oliveira, de uma indemnização como resultado de acidente de trabalho. Este desfecho não teria acontecido se o anterior Executivo tivesse pago o seguro de acidentes de trabalho a que era obrigado e não o fez em devido tempo, tendo deixado caducar o seguro existente em Maio de 2014 e que veio a ser anulado por falta de pagamento. Todos os trabalhadores da Junta estiveram sem seguro durante 16 meses, correndo o risco de acidentes de trabalho que poderiam ter sido de grande dimensão, só depois do acidente acontecer é que foi accionado novo seguro a partir de Outubro de 2015. Por esse motivo a Junta de Freguesia tem que pagar:Uma indemnização de 21.755,82 euros e uma pensão anual e vitalícia de 4.294,77 euros.”

Uma herança catastrófica

“Aquando da tomada de posse, o actual Executivo deparou-se com um cenário caótico na Junta de Freguesia, onde não existia contabilidade realizada dos anos de 2016 e 2017, para minimizar o caos este Executivo teve de recorrer a uma empresa especializada na área de contabilidade, para que efectuasse a contabilidade de 2017 e para tal teve de pagar à empresa 4920 €. (…) continuando em falta o ano de 2016, pelo qual não temos que prestar contas pois não é da nossa responsabilidade mas sim do Executivo anterior.”, fica bem claro no documento a que tivemos acesso.

César Diogo deixou uma herança pesada para o executivo do CDS, na freguesia de Muge
Foto: D.R

Devido a falhas do anterior Executivo liderado pelo socialista César Diogo, “a Junta de Freguesia estava impedida de aderir aos programas do IEFP, durante 4 anos. Resolveu-se o problema que existia e conseguiu-se, assim, entrar no programa de reinserção de emprego e receber 3 trabalhadores para o serviço da Freguesia.”

E sobre a secção de bombeiros de Muge ficamos a saber o seguinte: “Reunimos com a Direcção dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos para resolver a questão do antigo espaço da Secção de Bombeiros de Muge. Foi decidido pela Junta de Freguesia, ceder o espaço apenas para o caso de voltar a haver uma secção de Muge ou, no caso de quererem colocar uma ambulância ao serviço da população.”

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker